6 de maio de 2012

Brasil é o 2º maior país no Facebook, diz pesquisa

O Brasil se tornou o segundo país com mais usuários no Facebook nos últimos três meses (do início de fevereiro ao final de abril), segundo o site de pesquisas "Social Bakers". O país perde apenas para os Estados Unidos, onde a rede social foi criada.

O "Social Bakers" mede o tamanho dos países dentro do Facebook a partir da quantidade de usuários ativos mensais de cada local. Nos dados dos últimos três meses, o Brasil ficou com mais de 46 milhões de usuários do tipo contra 45 milhões na Índia, grande rival do país na disputa pela segunda colocação do ranking. Os norte-americanos já somam mais de 157 milhões e têm a liderança isolada.

"Brasil e Índia têm brigado pela segunda posição há um bom tempo, mas o Brasil finalmente superou seu rival", diz o comunicado divulgado pelo "Social Bakers". A pesquisa também mostrou quais são as marcas brasileiras com maior força no Facebook: Guaraná Antarctica, Skol e L´Oreal Paris Brasil.

O Facebook é a maior rede social do mundo com mais de 900 milhões de usuários. A previsão é que o site ultrapasse 1 bilhão de membros já no segundo semestre de 2012.

A empresa abriu escritório no Brasil em agosto de 2011, para reforçar sua presença no país. Por aqui, a rede social é comandada por Alexandre Hohagen.

No dia 1º de fevereiro, o Facebook apresentou seus documentos aos órgãos regulatórios para fazer uma oferta inicial de ações (o chamado IPO) em que espera arrecadar US$ 5 bilhões. A estreia da rede social na bolsa de Nova York está prevista para maio, com o símbolo FB. A expectativa do mercado é que o IPO seja o maior para uma empresa de internet, superando o de quase US$ 2 bilhões do Google, feita em agosto de 2004.

Na terça-feira (1º), a rede social lançou um plano para aumentar a doação de órgãos e, desse modo, salvar vidas. Os usuários podem informar em seu perfil se eles querem ser doadores. Em um dia, a ferramenta já foi usada por 100 mil pessoas.

4G: EUA e Canadá têm dois terços das conexões

A América do Norte continua dominando o mercado de 4G, que utiliza a tecnologia Long Term Evolution (LTE). Segundo a 4G Americas, que reúne fabricantes de equipamentos e operadoras de telefonia, até março a região registrou 10,8 milhões de assinaturas em LTE, mais de dois terços da base de assinantes global. No primeiro trimestre de 2012, os Estados Unidos contabilizaram cerca de 10,5 milhões de conexões LTE e o Canadá 300 mil, aponta o levantamento Informa Telecoms & Media.

Em termos globais, a HSPA (3G), principal tecnologia de banda larga móvel, ainda alcança resultados significativos. A tecnologia tem mais de 80% das assinaturas do segmento no mercado. Existem atualmente 221 redes comerciais HSPA+ (com velocidade até três vezes maior que o 3G) em 107 países. No Brasil, o leilão das frequências do 4G está marcado para 12 de junho.

A avaliação do presidente da 4G Americas, Chris Pearson, é de que há um avanço rápido da LTE, tendo em vista que as operadoras ainda estão recebendo novas frequências sem fio e implementando infraestrutura. Os dados preliminares da Informa Telecoms & Media estimam que a região das Américas registrou mais de 200 milhões de conexões HSPA e LTE ao final do primeiro trimestre de 2012. A expectativa é que a região ultrapasse 250 milhões de assinaturas de banda larga móvel até o final de 2012 e que esse número salte para 700 milhões de assinaturas em 2016.

A América Latina possui 80 implementações comerciais de redes HSPA, operando em 34 países. Existem apenas seis redes comerciais LTE em quatro países da América Latina (Brasil, Colômbia, Porto Rico e Uruguai) e a Informa prevê cerca de 300 mil conexões LTE até o fim de 2012.

Segundo a pesquisa, as implementações e assinaturas em tecnologia LTE dispararam mundialmente com 74 redes comercializadas em 40 países ao redor do mundo. Até o fim de 2012 mais 110 redes comerciais são previstas. De acordo com declarações públicas, mais de 334 operadoras estão comprometidas com a tecnologia em seus planos para o futuro: 73 estão em fase de teste; 187 em fase de planejamento (incluindo 40 lançamentos previstos para 2012); 59 possuem licenças provisórias; e 15 tiveram suas licenças concedidas. 

No Brasil, a expectativa é que o leilão para que a nova tecnologia seja implantada ocorra ainda neste ano.
Fonte: Tribuna do Norte

0 comentários:

Postar um comentário